quinta-feira, 4 de março de 2010

Lá.


Aqui, de onde nunca se ouve falar, eu vejo o que não se vê.
Eu vejo entre os arcos, vidas e sinas.
Aqui, de onde o medo não me alcança, eu avisto esperança.
Eu vôo em passos largos por milhas e milhas.
Eu busco o indecifrável.
Eu quero ver o que ha por trás de todas essas cores.
O que ha em baixo de toda a luz?
O que ha em cada fresta de escuridão?
Porque aí, no escuro, pouco se vê.
Mas eu vejo o que acontece, eu posso ver onde você vai,
Eu posso ver para onde a multidão caminha. Sim, caminha.
Enquanto eu vôo em passos largos.
Porque aqui, aqui a escuridão não alcança.
Aqui, onde a tempestade não atinge...
Porque estou além.
Simplesmente porque eu, eu sou uma ilusão.
Lá no alto onde as borboletas voam
e as mãos não podem destruir.
Porque estou além.
Você ouve falar, você acha maravilhoso
e você não consegue alcançar.
Você não tenta? Não vê?
Eu quis... eu procurei minhas asas.
Eu as vesti e eu acreditei.
Eu voei e cheguei. Eu pude alcançar.
Aqui, onde ha mágica sem absurdo,
porque simplesmente...
Ha ilusão.
Aqui no alto...
E eu vôo em passos largos por milhas e milhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário