quinta-feira, 10 de junho de 2010

Uma segunda-feira qualquer.

Uma noite mal dormida, uma manhã fria em que o sol definitivamente não quis dar as caras. O começo de uma semana sem fim, após um final de semana que eu esperava que nunca acabasse. É como acontece em todos os outros. A vontade involuntária de não sair da cama, se jogar e não pensar em nada. Simplesmente se entregar a inércia. Sinto-me assim quase sempre... São apenas os primeiros minutos antes de me sentir totalmente acordada, apesar de que, algumas vezes, isso demorar horas para acontecer.

Levanto apenas quando todas as pessoas já parecem estar acomodadas com sua rotina de cada dia. Depois que o sol finalmente dá as caras e eu pulo da cama preocupada com o horário. Uma tarde inteira em casa, dentro do pijama, 3 blusas e um frio insuportável. A semana continua a demorar a passar...  Mesmo que ela mal tenha começado. As horas que não passam e o dia que não acaba.

Final da tarde, enfim... Lavar a louça, tomar banho e esse frio incessante que não me abandonará tão cedo. Eu tentei ser tolerante a ele, mas não dá. Nasci para a alegria dos dias coloridos da primavera. Acabei de crer.

Depois, aquela saudade que exprime os corações apaixonados nas noites de outono quando tudo o que se quer é dormir abraçado. Um olá, uma porção de palavras, alguns eu te amo e um pouco de risada... ok, um bom motivo para se dormir melhor. Depois daquele dia irritante em que se chora até pela novela tosca que está passando, nada mal.

E finalmente a noite... Deito-me já pensando em continuar pensando. Eu gosto de pensar quando estou sozinha no escuro me revirando na cama, enquanto espero pelo sono. A verdade é que não me lembro de ter pensado em nada...

Nenhum comentário:

Postar um comentário