quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Quem sou eu:

Pergunta-se: Quem sou eu. Já escrevi diversas vezes sobre tal fato. Eis que sou um fato. Não procuro me entender, mas eu não preciso disso. Eis que ninguém precisa também. Exceto uma ou duas pessoas. Eu simplesmente sou. Eu simplesmente sei. Sei que sou uma futura designer de moda. Sei que eu quero isso desde que tenho 7 anos de idade. Bastante tempo pra se acostumar com a idéia. Sei que eu tenho um namorado. Ha pouco mais de dois anos. Não é tanto tempo. Mas eu tive boa parte da vida esperando alguém como ele. Sei que tenho uma família, cheia de defeitos, e por isso, maravilhosa. Sei disso desde o meu primeiro dia na Terra. Bastante tempo para se acostumar com as estranhices, diria eu. Sei que tenho poucos amigos. Alguns ha muito tempo, outros eu nem sei. Mas eu sei que amigos, são amigos a partir do momento em que se permite. Pois é. Qualquer um pode ser. Com algumas restrições. Eu sei que tenho um orkut. Quase inútil. Mas tem um pedacinho de mim nele. Eu tenho um twitter. Útil para o mundo e bem inútil pra mim, que nem sequer sei usá-lo. Quem sabe um dia. Sei também que tenho um blog. Ele é útil pra mim. Mas inútil ao mundo. É a vida. Eu amo macarronada, molhos e afins. Talvez exista um pouco do sangue italiano que corre nas veias. Eu sei que ando um pouco fissurada por qualquer coisa cor-de-rosa. Mas não sei porque. Nem sei quando isso passa. Mas passa. Eu sei que algumas coisas são eternas mesmo quando terminam  e que outras não duram nada. Simplesmente não duram. Sei que eu sonhava em ser uma ginasta, nos meus 5 ou 6 anos de idade. Durou alguns 5 ou 6 anos, também. Mas acabou. Eu quis ser uma bailarina. Acabou também. Eu sei que isso me frustra um pouco. Eu sei que sou apaixonada por música. Isso também, nasceu na minha infância. Mesmo que até hoje eu não entenda muito técnicamente sobre o assunto. Eu gosto e pronto. Eu já quis por um momento  ser uma música. Hoje eu tenho alguns planos. Nenhuma meta. Evoluo enquanto posso. Sonhos não, planos. Eu sei que tenho certo gosto por coisas melancólicas. Não sei desde quando. Eu sei que nada me deixa mais feliz do que estar feliz, ou fazer outra pessoa feliz, compartilhar certo sentimento. Eu sei algumas coisas. Mas de resto, eu não sei de nada. Eu sei que sou cheia dúvidas e perguntas. Cheia de porques. Isso desde sempre, também. Até porque, teve o dia que eu não sabia nem um pouco do que sei hoje. Eu sei que quase nunca consigo terminar algo que fale sobre mim. Talvez porque ainda exista muito a ser escrito. Ou melhor, a ser vivido. Talvez porque eu ainda não esteja terminada. Nem nunca estarei. Como já dizia Clarice: ‘’Enquanto eu tiver perguntas e não houver respostas... continuarei a escrever’’

5 comentários:

  1. Muito bom, neném! ótimo texto. Você tem sangue de escritora também, hwieh :)
    Agora, deixe-me dizer algumas coisas sobre você, para que você inclua nos próximos 'quem sou eus': você é manhosa e bebê, e também fica muito bem de roxo. E é a pessoa mais importante do mundo, pra pelo menos uma pessoa, que sou eu, claro. E é também o meu amor. Isso tudo é sobre você *-*

    ResponderExcluir
  2. sangue não... só se for da aline! OIDHAIODHIAOD
    lindo *-* é até mais fácil voce escrever sobre mim.

    ResponderExcluir
  3. 1º é a pessoa mais importante do mundo pra mim também, isso todo mundo sabe.
    2º esse foi um dos textos mais lindos que eu já li *-*

    ResponderExcluir
  4. Ja sou a pessoa mais importante do mundo pra duas pessoas *-* oun, Amo vocês!

    ResponderExcluir
  5. É estranho quando vamos escrever quem somos, na verdade não podemos expressá-lo pois nossos mecanismos de defesa nos impedem. Fomos machucados alguma vez e temos medo de encontrar a ferida. Somos seres em constante transformação e que não sabemos de nada, mas, de certa forma você expressou de uma forma muito interessante.

    (Acho que não sei quem sou
    Só sei do que não gosto...) Legião Urbana

    T+
    http://downloadcult.blogspot.com/

    ResponderExcluir