sábado, 25 de junho de 2011

TOC

Pois vamos concordar que obsessão é uma palavra forte.  Mas eu estou, nesse momento, pensando que esse tal amor que todos sentem é uma doença. É tipo um Transtorno Obsessivo Compulsivo. Pensamentos e impulsos que invadem nossa mente, acompanhados de medo, angústia e culpa. Não é amor. Amor é bom. Amor não mata. Esse tal sentimento aí, amigo, é obsessão. Obsessão por se sentir amado, obsessão por sentir necessidade de alguém, obsessão por sofrimento. Medo de solidão. É angústia... aquela que bate forte no peito quando você olha para o lado e se vê sozinho. Mas sabe de uma coisa? A vida é injusta com toda essa coisa egocêntrica do ser humano correr atrás de alimentar o coração. Mas sabe de outra coisa? Nada tem a ver com o coração. Estou a partir de agora classificando o amor como um TOC. Apenas uma necessidade compulsiva por encontrar a metade da laranja que vai te livrar dos monstros assustadores da terrivel escuridão. Isso seria bem conveniente. Se faz bem pro coração, exatamente, eu não sei. Mas não faz muito bem pra cabeça, não. Ha alguns que ficam loucos. Outros que encontram a cura. Então que continuemos apenas buscando a melhor forma de viver e ser feliz. Afinal, fomos jogados nesse grande mar de gente chamado mundo para que? Eu ainda não sei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário